Seguranças do metrô de São Paulo omitiram socorro a uma menina negra de 14 anos… Foi preciso um escândalo para que ela fosse assistida.

Por Marina Costin Fuser Acabo de chegar em casa após ter testemunhado um episódio de completa negligência dos seguranças do metrô Consolação, os senhores Cícero (não gravei o último nome) e Luís Gonçalves, que omitiram socorro à menina Laís, de 14 anos, que estava desacordada com uma crise de asma. A amiga que pediu socorro … Continue reading Seguranças do metrô de São Paulo omitiram socorro a uma menina negra de 14 anos… Foi preciso um escândalo para que ela fosse assistida.

Vamos caminhar juntas? Sobre o 8M e a paralisação internacional das mulheres em São Paulo

[Por Marina Costin Fuser] Ninguém merece ser governado por alguém que não se elegeu democraticamente, mas que lições a esquerda tradicional pode tirar do golpe? O professor e roteitrista Eliseo Altunaga (EICTV, Cuba) deu uma pista: "O cinema se acomodou ao não criticar o governo quando tinha dinheiro. Agora que fecharam a torneira, temos que … Continue reading Vamos caminhar juntas? Sobre o 8M e a paralisação internacional das mulheres em São Paulo

O salto qualitativo das mulheres no cinema: para além da luta por mais espaços

...E algumas fontes bibliográficas    . [por Marina Costin Fuser] A luta por mais espaços para mulheres diretoras, para diretoras de fotografia, para roteiristas e críticas de cinema é fundamental para potencializar e equilibrar os pontos de vista de quem faz e elabora sobre o cinema. Mas essa discussão vai muito além de quantificar espaços. Os … Continue reading O salto qualitativo das mulheres no cinema: para além da luta por mais espaços

Quem varre o tapete vermelho?

[brevíssima de Marina Costin Fuser] Acredito na potência dos novos feminismos que vêm surgindo no audiovisual. Temos cada vez mais gente pensando e fazendo cinema sob um viés feminista, questionando olhares, abordagens. Mas são feminismos bastante descolados dos movimentos sociais, de lutas travadas por mulheres enraizadas nas tradições de esquerda. Refiro-me a um feminismo fofo, adocicado, … Continue reading Quem varre o tapete vermelho?

Por que, e em que sentido, algumas feministas não condenam a pornografia?

[por Marina Costin Fuser] Não precisa ser feminista para constatar que a pornografia tradicional é um laboratório de sexismo.  A indústria pornô no geral segue um compêndio de ângulos e posições que ritualizam o ato sexual através do machismo posto em imagens, sons e performances que empobrecem o ato. O prazer da mulher se reduz … Continue reading Por que, e em que sentido, algumas feministas não condenam a pornografia?

Chica Minuto: Doses instantâneas de mulheres-meio-homens e homens-meio-mulheres

[por Renata Flores] O que queremos com Chica Minuto?             Falar e perguntar. Falamos sobre uma mulher que vive cada minuto. Perguntamos “o que é um homem?”, “o que é uma mulher?” “ser mãe é preciso?”, “o que é ser bem-sucedido?”, “quantas pessoas formam um casal?”, “toda mulher precisa ter um amigo gay?”. Junto com … Continue reading Chica Minuto: Doses instantâneas de mulheres-meio-homens e homens-meio-mulheres

Excessos e Ausências de Tarantino: Os Oito odiados

[por Glênis Cardoso de Verberenas] * Publicado pela primeira vez em 18/01/2016, disponível no link: https://verberenas.com/2016/01/18/excessos-e-ausencias-de-tarantino/   A história de Os Oito Odiados é simples: durante uma nevasca, o caçador de recompensas John Ruth (interpretado por Kurt Russell) tenta levar a criminosa Daisy Domergue (Jennifer Jason Leigh) até Red Rocks, onde ela será enforcada. No … Continue reading Excessos e Ausências de Tarantino: Os Oito odiados

Tudo em nome da Arte: O premiado da mostra de SP fetichiza o estupro

Michelle   [por Marina Costin Fuser]   Favorito da 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, ELLE é um filme tecnicamente muito bem feito. A abertura do filme já diz ao que ele veio: a Michelle (Isabelle Huppert) deitada no chão com um homem de preto encapuzado em cima dela. Ele se levanta, termina … Continue reading Tudo em nome da Arte: O premiado da mostra de SP fetichiza o estupro

Muito além do amor beat: a verdadeira história, e a história oculta de Carolyn Cassady

[Por Bruna Provazi] “Até hoje ninguém se interessou pela minha história. A única razão pela qual todos se interessaram por mim é porque fui casada com Neal Cassady e amante de Jack Kerouac. Então vamos falar sobre isso. Não é o que trouxe vocês até aqui, afinal de contas?”, declara uma perspicaz senhora de 88 … Continue reading Muito além do amor beat: a verdadeira história, e a história oculta de Carolyn Cassady